Exames...Avaliações...


Hoje neste texto vou expressar a minha opinião em relação a um tema que tem sido falado nos últimos dias devido ao facto de uma rapariga com 16 anos ter escrito uma carta para o Dirigente do Ministério Português da Educação.
O que venho dizer é que concordo a 100 % com o que a rapariga diz na carta.
Geralmente nunca fico nervosa para os testes, mas os exames são sempre aquela coisa. Nós andamos a bulir um ano inteiro (supostamente, mas muitos andam a ver a vida passar) para chegar ao final do ano para provar mais um uma vez que somos merecedores da nota que nos é dada !!!!!!!
Falo por mim, estou no 10 ano mas passei para o 11 ano, ou seja, para o ano tenho dois exames para fazer e para quê? Para se gastar mais papel com os exames,  que vai resultar no abatimento de mais árvores, que vai fazer com que haja menos absorção de dióxido de carbono que por sua vez menos oxigénio purificado, para cansar mais a minha cabeça que no final do ano quase rebenta e para estar mais umas horas a estudar e apanhar uma seca dos diabos nos apoios da escola.
Já não chega o facto de muitos de nós termos de emigrar? Já não chega que muitos de nós estamos a trabalhar para o boneco? Principalmente enquanto estamos na faculdade.
Na minha opinião os exames são mais um teste, mais um que é posto aos alunos erradamente. Poderia haver exames mas era para situações particulares, como por exemplo depois de um ano inteiro ter chumbado a X disciplina e os exames seriam para se levantar a nota a essa cadeira.
Ao esforço não lhe é dado o merecido valor.
Outra coisa que eu também discordo é de as avaliações que são feitas aos alunos, não deveriam ser quantitativas mas sim qualitativas.
 Vamos ser realistas, o que importa são os números. Falo novamente por mim, eu até posso ter 15 no teste e quando o recebo já não me lembro de patavina do que escrevi e que soube na altura, por isso é que os testes globais apesar de serem mais chatos para estudar são sempre os melhores, porque revê-se a matéria, mas não exageradamente se for possível.
O que deveria ser contado era a qualidade e não a quantidade. Supostamente quando se diz:
“Esta escola é de excelência”.

Não é pela qualidade como também é referido milhares de vezes, mas sim pelas notas dos alunos que se formos perguntar a muitos deles já não sabem o que aprenderam durante um ano inteiro letivo.
E hoje foi isto.
Vou estar ausente durante três semanas, mas não me vou esquecer do blog. Vou escrever textos fixes e depois público.
*Beijinhoso fofos*

Mensagens populares